quinta-feira, 10 de maio de 2018

Livros e revistas seminovas para enriquecer o seu olhar

Sempre digo que o conhecimento é algo que nunca, ninguém , poderá tirar de você. Pensando nisso, estou vendendo alguns livros e revistas de minha coleção de fotografia e abaixo trago os detalhes de cada um.


 As revistas

Vou começar descrevendo cada revista.

Revista Digital Photographer Brasil

Edição: 39 - Valor de capa: R$ 14,90
Comigo R$ 10,00


Alguns assuntos
  • Gastronomia;
  • Teste de câmeras full-frame peso leve entre Canon, Nikon e Sony;
  • Fotografia de paisagens;
  • Fotografia publicitária;
  • Fotografia de chuvas e tempestades;
  • E muito mais.
Avarias 
Faltando a página 5 e 6 (segunda parte do índice); Desgastes naturais nas bordas proveniente do uso.

Revista Fotografia digital sem segredos

Edição: Única - Valor de capa: R$ 29,90 - Site R$ 41,47 (com frete)
Comigo R$ 20,00

Alguns assuntos
  • Como configurar sua DSLR para fotografar paisagens, retratos, esportes de ação;
  • Principais conceitos da fotografia digital para obter imagens incríveis;
  • Fotógrafos amadores passam o dia acompanhados de profissionais. Aprenda com a experiência deles;
  • Aproveitando elementos e condições de luz na sua casa para produzir imagens profissionais;
  • Conseguindo a máxima qualidade em suas fotos; com o Photoshop;
  • E muito mais.
Avarias 
Nenhuma, impecável.

Revista Fotografe Melhor - Técnicas e Prática


Edição: 42 - Valor de capa: R$ 19,90 - Site R$ 9,90 (digital)
Comigo R$ 10,00

Alguns assuntos
  • Ensaios pré-casamento;
  • Aprenda a posicionar o bebê para fotos de newborn;
  • Retratos de pessoas;
  • Gastronomia;
  • E muito mais. 
Avarias 
Marcas de uso; Capa solta.

AS REVISTAS NÃO SÃO VENDIDAS SEPARADAMENTE. NA COMPRA DE UM LIVRO VOCÊ PODERÁ OPTAR EM ADQUIRIR AS REVISTAS COM DESCONTO SURPRESA !

Os livros

Vou começar descrevendo cada livro e confesso: Todos são excelentes!

Livro Fotografia básica 01 - Composição
Autor: David Prakel
2ª edição
Páginas: 184
Valor novo R$ 107,00 + frete
Comigo R$ 90,00

Alguns assuntos
  • Fundamentos: Pontos de visão, perspectiva...;
  • Elementos formais: Ponto, linha, tom, cor...;
  • Organização do espaço: Quadros, equilíbrio...;
  • Organização do tempo: Momentos decisivos, sequências...;
  • Originalidade: Sua própria visão, contrastes e humor...;
  • Aplicação: Paisagem; still-life, retrato, arte, publicidade...
  • Com muitos estudos de casos e exercícios práticos;
  • E muito mais. 
Avarias 
Nenhuma, impecável.


Livro O fotógrafo completo
Autor: Tom Ang
3ª edição
Páginas: 400

Valor usado R$ 75,00 + frete. Novo R$ 99,90 + frete
Comigo R$ 80,00


Alguns assuntos
  • Retratos
  • Paisagens
  • Moda e nu artístico
  • Vida selvagem e natureza
  • Esportes
  • Documental
  • Eventos sociais
  • Viagem
  • Arquitetura
  • Fine Art
  • E muito mais.
Avarias 
Pequena avaria na capa, nada que comprometa o excelente conteúdo; Há uma página com dedicatória pessoal.

Mais imagens do livro

 


Livro Fundamentos da fotografia criativa
Autor: David Prakel
1ª edição
Páginas: 208

Valor usado R$ 69,90 + frete. Novo R$ 122,00 + frete
Comigo R$ 80,00


Alguns assuntos
  • Bases teóricas da fotografia até a realização de um brief profissional;
  • Fundamento fotográficos;
  • Comunicação;
  • Fotografia aplicada;
  • Profissionalismo;
  • O brief;
  • Fluxo de trabalho;
  • E muito mais.
Avarias 
Nenhuma, impecável.


Tem mais!

Comprando todos os livros ou todas as revistas, leve inteiramente grátis o livro: Cidade Saudade - Fortaleza anos 70, do fotógrafo Nelson F. Bezerra.


O livro mostra a história de nossa cidade em fotos registradas na década de 70.

 

E se eu quiser levar tudo?

Então você pode levar para casa todos os livros e revistas de uma só vez e construir ou aprimorar a sua fotografia como nenhum outro.

Faça a sua proposta!


Condições e pagamentos

Venda
A venda dos livros e das revistas só estão disponíveis para a cidade de Fortaleza e região metropolitana.

Entrega
Carrefour Maraponga ou outro local público a combinar.

Pagamento
Somente em dinheiro.

Contato

85 98835 4345 (Cel e WhatsApp). Lucas Filho.

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Fotografar é apenas pressionar um botão?

Há uma ideia, de quem não conhece fotografia, que o ato de fotografar se restringe a pressionar um botão. Mas será mesmo isso? Ao final desta postagem talvez você passe a valorizar ainda mais aquele profissional que fará de tudo para registrar o seu momento, mas vou logo avisando: depois de ler o texto, você pagará muito mais para ele.

01 - Se é apenas um botão, qual seria?

Para esta postagem eu tive a curiosidade de contar quantos botões eu tenho em minha câmera. O resultado foram 23 botões. Então lhe pergunto de bate pronto: Qual deles eu devo usar para fotografar?


Então começamos em dizer que não é apenas pressionar um botão, temos que saber qual é este. Entretanto, você deve dizer que é o botão que "tira a foto". Tecnicamente, se não usarmos uma câmera que revele na hora, não podemos "tirar a foto" já que o fotógrafo não "tira uma foto" ele "faz a foto."

O botão do obturador (o que tira a foto) possui dois estágios, um é para fazer o foco e o outro para disparar o obturador e assim fazer a foto. "Pressionar o botão" como fazemos nos celulares, vai resultar em uma foto fora de foco, tosca, sem o que chamamos de a alma da fotografia.


02 - Escolher o local preocupando-se com os detalhes

Fazer uma foto é pensar em pouco segundos em tudo o que pode ser feito para que a sua imagem/ fotografia saia formidável. Um dos pensamentos do fotógrafo é o que estará por trás de você na hora de fotografar que possa comprometer a sua foto. Galhos, pessoas, animais, podem causar fusões indesejáveis e é o fotógrafo que tem que ver isto, ali, na hora.

Fonte: R7

03 - Ver o quanto você é sensacional

Muitas pessoas me disseram que não gostam de serem fotografadas pois sempre saem feias nas fotos. De fato, você talvez não seja uma Angelina Jolie da vida, mas se você se enxerga feia, o problema é do fotógrafo em deixar você estonteante.


Então o fotógrafo vai - ou deve, conversar com você por alguns instantes. Esta conversa pode ser alguns dias que antecedem o ensaio, o importante é ele conhecer mais sobre você. E o envio de fotos suas em que se achou mais bela ou menos bela, vai fazer o fotógrafo encontrar o melhor ângulo seu. Imagine o fotógrafo como um lapidador e você o diamante bruto que merece ser lapidado, entregar-se a um pedreiro, você não se tornará um diamante. No caso das fotos, entregar-se a um "batedor de foto", não resultará em boas imagens.


04 - Acertar a distância focal

Então depois da cena construída, dos detalhes da maquiagem e vestidos revisados, chegou a hora da distância focal... hum? Viu só, o fotógrafo também terá que se preocupar com isso. Basicamente, a distância focal, é qual lente ou a milimetragem da lente o fotógrafo vai usar de acordo com o seu rosto para que o mesmo não fique, digamos, esquisito. Veja abaixo.

Nas fotos acima, eu usei uma lente de 18-55mm. Na primeira foto, ela estava em 18mm. Já a segunda, estava em 55mm. Notou a diferença? Será que em apenas 10seg a plantinha encolheu tanto assim? Claro que não. Mas você pode estar se perguntando: E qual o efeito que isto terá em minhas fotografias? Acho que as fotos abaixo falarão por si só.

Foto: Stephen Eastwood - via GizModo
Note a diferença que ocorrem nas fotos da mesma pessoa apenas trocando a distância focal da lente. Olhe para a primeira em comparação a última. Então, o apertar um botão, passa a ser mais técnica do que aparelho certo?...

05 - "Com a sua câmera eu também faria fotos extraordinárias"

A síndrome do "apenas apertar um botão" tem uma relação direta com a ideia de que basta ter uma câmera profissional ou semi-profissional que todos podem fazer belas fotos. Se compartilha do mesmo pensamento, acompanhe o quadro abaixo.


Então, deu para notar que a fotografia vai muito além do que o "apertar um botão."

06 - Uma salada

Sombra, luz de tungstênio, luz do dia, fotometria, compensação de exposição, flash direto ou rebatido... vixe, ainda tem muito mais por aí. É certo que alguns dos ajustes citados anteriormente podem ser feitos antes da foto, mas saber quais são os ajustes para cada ocasião é bem mais complicado do que você imagina.
Não podemos também esquecer do carisma, da força de vontade, da magia que cada fotógrafo profissional deve ter consigo. Quem vai querer fazer fotos com um fotógrafo carrancudo que mais parece um ditador exigindo que você dê um "sorriso natural". Fala sério! Isto não existe. A empatia do fotógrafo tem que extrapolar qualquer timidez. Veja algumas fotos abaixo.

Para ver mais fotos deste trabalho clique aqui.

Para ver mais fotos deste trabalho clique aqui.

Depois de conquistar a confiança dos retratados, o nosso trabalho como fotógrafo fica mais fácil e o que é melhor, fica até divertido.

Conclusão

Acredito que a sua visão sobre o que é o ato fotográfico deva ter mudado. A fotografia ainda tem horas de estudo, depreciação do equipamento - não temos redução de IPI, despesas com softwares, energia elétrica, cafés - sim para manter-nos acordados durante a madrugada de edição em suas fotos, compra de presentes para as esposas - já que nos fins de semana estamos nos seus eventos e temos que agradar a patroa claro ; )

Então, por favor, nunca diga a um profissional que o trabalho dele se resume ao uso bestial de sua ferramenta. Por fim, agora que você sabe que fotografar não é apenas um apertar de botão, que tal valorizar o profissional que deseja que o seu evento, você e tudo mais apareçam formidáveis em suas fotos?

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Cantata de Natal El-Betel - 2017

Uma cantata (Composição musical para uma ou mais vozes com acompanhamento, geralmente para solista, coro e orquestra. - Dicio.com.br), é algo formidável. Geralmente este tipo de apresentação é predominantemente religiosa.


O evento ocorreu no último dia 21 na sede da Igreja Batista El-Betel de Fortaleza. Luz, voz e ação.




quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Batizado do Arthur

Tenho muito prazer em fotografar - é tanto que sou fotógrafo né? Mas tem momentos que são deliciosos e quando o fotografado não está muito afim de fazer as fotos e ao final do ensaio você consegue um resultado desses, bem, posso olhar no espelho e dizer: Valeu fotógrafo!


O batizado do Arthur foi na Mitra Arquidiocesana Militar Nossa Senhora das Graças, em Fortaleza-Ceará, que fica ao lado do Hospital do Exército. Ao chegar por lá notei que ele estava preocupado, buscando algo, ou alguém.


O olhar curioso da foto acima era ele procurando por sua avó.


Paciência e sabedoria

Fotografar crianças é um desafio. Até ele se acostumar com você pode ser um exercício de levantar, se agachar, puxa, estica e faz malabares até a criança lhe aceitar por perto com uma câmera - um troço, que é apontado para ele. Mas com algumas técnicas, os resultados vão aparecendo.



Um soldado em várias guerras

Imagine uma igreja relativamente pequena e pais com seus filhos, alguns impacientes e entre eles fotógrafos tendo que se rebolarem para conseguir o melhor registro da criança. Sim, me senti um soldado em meio há muitas guerras.


Mas sou soldado de Cristo, eu não desisto.


As águas e a vela

Fazia tempo que não fotografava um batizado católico. Mas ainda me lembrava dos rituais e, observando os demais fotógrafos, deu para saber os momentos cruciais da cerimônia.






Ao ar livre e sem a blusa... ora da diversão

Saímos para o jardim da igreja, na verdade, era uma parte que fica entre a capela e o estacionamento do Hospital do Exército. Lá, fiz algumas fotos da família e dessa princesa linda Ana Luisa, prima do Arthur e que se encantou com as folhas de uma mangueira.


E depois de muitos protestos por conta do calor, o Arthur tirou sua blusa, foi então que a diversão começou.







Foi um trabalho gratificante. Terminei as fotos cansado, sujo de areia, suado mas muito feliz, pois consegui tirar do pequeno Arthur o seu melhor, o seu sorriso.


Gostou? Então vamos fazer um ensaio comigo! É bem mais divertido do que você imagina.

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Eu Fui: Quixadá - Trilha da Pedra da Galinha Choca - parte II

A trilha da Pedra da Galinha Choca em Quixadá, Ceará, rendeu muitas fotos. E esta é a segunda parte das fotos que fiz por lá. Diferente da primeira parte, aqui me concentrei nas maravilhas da criação divina e em algumas intervenções do homem.


A foto acima, foi feita do alto da Pedra da Galinha Choca. Mas o que você talvez não saiba é que, para chegar até aqui, um longo mas prazeroso caminho foi trilhado.

Na estrada

Sempre que saiu de ônibus em viagem, mesmo que não sejam as 24 horas até São Luis - Maranhão, gosto de ficar fazendo fotos pelo caminho. A dificuldade do reflexo no vidro da janela, a sujeira na mesma e os solavancos, são os ingredientes perfeitos para superação do caminho.




Embora a qualidade não seja lá essas coisas, o registro é melhor do que nada. Quem sabe um dia a Troller me patrocine para sair pelo estado fotografando lugares que poucos conhecem, me dando um T4 para rodar por aí.

Parada obrigatória

Paramos na estrada para merendar, esticar um pouco as pernas ou fazer qualquer outra coisa. No meu caso, fotografar.



Detalhe para a Churrascaria e "Prascaria" Brasília. Lá o atendimento foi muito bom, a simpatia dos atendentes foi surpreendente, ao final conversávamos como velhos amigos. Obrigado pelo cafezinho!

Preparar, respirar e fotografar

Depois da ida até o santuário, chegamos no ponto de apoio antes de encararmos a trilha. Lá, eu tinha duas opções: a primeira era aguardar as pessoas se reunirem para o alongamento; a segunda era explorar um pouco o lugar... que acha que eu fiz?





As fotos acima são de construções bastantes antigas no local. Conhecida como velho armazém a anos se ouve falar de sua restauração.

"Na Audiência Pública o juiz federal também determinou ao Dnocs a adoção de providências para disciplinar as visitas, inclusive com efetivo necessário para a segurança patrimonial garantindo também a segurança dos frequentadores, a retirada de comércios não autorizados e apresentar ações para cessar aas invasões além de combater o uso irregular das áreas do primeiro açude público construído no Brasil."
Fonte: http://blogs.diariodonordeste.com.br/sertaocentral/cidadania/diretoria-do-dnocs-tem-160-dias-para-apresentar-projeto-de-recuperacao-do-acude-cedro/





Na trilha


Na parte I - colocarei o link ao final desta postagem, postei as fotos das pessoas que enfrentaram seus medos, limitações e se entregaram de corpo e alma à trilha. Mas o que será que move pessoas para saírem de suas casas e entrarem na mata, enfrentando caminhos com pedras e pedregulhos; muitas vezes escorregadios? Se baixar demais a cabeça, corre o risco de dar de cara com um galho no seu rosto; se levantar muito poderá pisar em valas.




A foto acima tem uma curiosidade: A trilha é "serpenteada" por um córrego em sua grande maioria e embora pareça ser mais divertido não colocar os pés pela vala, fazer isto pareceu ser mais prudente. As bordas tem muita areia e inclina-se para o centro da vala. Sendo assim, se andar pelas beiradas, você corre o risco de escorregar e torcer seu tornozelo. Então, enquanto for aceitável, coloque o pé na vala. Contudo, vale salientar que, sendo a vala muito estreita ao colocar o seu pé dentro dela, vá com calma para que o seu pé não acabe ficando preso. Tenha sempre muita atenção.


Contemplar a criação do criador

Chegando perto do cume da Pedra da Galinha Choca, já dava para perceber o que nos aguardava.




Cansados, alguns feridos, mas chegamos

Não saberia descrever o que senti quando finalmente chegamos ao topo, ao nosso destino. Uma pausa para tomar um litro de iogurte - ainda frio, um pouco de água e adivinha só... lógico fotografar.





O Cedro

Lá de cima, temos uma vista privilegiada, inclusive podemos ver os paredões do Açude do Cedro.



"O Açude do Cedro localiza-se em Quixadá, Ceará. D. Pedro II, deu a ordem de construção, porém a realização deste foi feita pelos os primeiros Governos Republicanos do Brasil entres os anos de 1890 e 1906."
Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/A%C3%A7ude_do_Cedro


Um E.T?

Quem mora no Ceará já deve ter ouvido falar de aparições de objetos voadores não identificados nos céus de Quixadá. E para fornecer mais argumentos aos amantes do "Arquixo-Q" (trocadilho com o filme Arquivo-X), ai vai uma foto de um E.T olhando para a câmera.


Olha para a foto acima, bem para o centro da imagem. É ou não é um rosto de uma criatura a espreita? (kkkk).

A seca e os belos barcos

O açude estava bastantes seco. Não sei se já foi pior, mas o que sei é que mesmo lá do alto fiz uma foto que mostrava uma pessoa andando pelas águas. Então, depois que descemos, fui fazer algumas fotos do açude.

O problema estava em saber que a bateria da câmera já estava agonizando e como a minha outra bateria estava com defeito o desespero tomou conta de mim. Vi alguns barcos encalhados e o que eu mais desejava naquele momento era que a carga da bateria aguentasse pelo menos mais vinte fotos. Ledo engano. Descarregou total. Cabisbaixo, sentei no alpendre do restaurante que estávamos descansando quando lembrei: "Ei! Eu fotografei um casamento usando meu celular!" Então corri para registrar o momento.






E caminhando de volta para o ônibus, ainda deu tempo de fotografar mais o lugar.





Mais fotos e um pedido

Tem muito mais fotos no álbum da trilha. Mas antes de indicar o link, tenho um pedido para fazer. Adorei fotografar Quixadá, mas senti falta de ter mais tempo para explorar o local. Há uma região de monólitos (formações rochosas) em Quixadá que não vi. Não fotografei o paredão do açude nem a cidade em si. E se algum grupo de fotógrafos de Quixadá puder me hospedar na cidade gostaria de participar de um passeio por esta tão linda região. E se alguém deste grupo conseguir que eu vá também para uma igreja evangélica e pregar o evangelho de Cristo, caramba, seria o ápice da felicidade deste que lhes escreve.

Pois bem, para ver mais fotos acesse o álbum clicando aqui!

Para ver a parte I da postagem da trilha, clique aqui!